27/10/2011

Maurren Maggi, no salto em distância, e Lucimara Silvestre, no heptatlo, brilham em Guadalajara.




GUADALAJARA. Ontem foi uma quarta-feira de ouro para o atletismo brasileiro nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Confirmando as expectativas, a campeã olímpica do salto em distância, Maurren Maggi, não deu chance a suas rivais e saltou 6,94m para conquistar o ouro na prova e estabelecer a melhor marca do mundo na temporada. Outras alegrias para a torcida verde-amarela vieram no heptatlo, com a vitória de Lucimara Silvestre, e com o emocionante ouro de Leandro Prates nos 1.500m. Ele vencia com facilidade, mas o equatoriano Byron Piedra deu uma arrancada final e os dois cruzaram a linha de chegada juntos. Só quando o resultado oficial saiu é que Prates pôde respirar aliviado: ele venceu o rival por apenas um centésimo, fazendo o tempo de 3m53s44.

Ao contrário do que acontecera na Rio-2007, desta vez não houve dobradinha brasileira no pódio do salto em distância feminino. A outra brasileira na disputa, Keila Costa, ficou apenas com a quinta posição (6,37m). A medalha de prata foi para a americana Shameka Marshall (6,73m) e a de bronze, para a colombiana Chatherine Ibarguén (6,63m).

- Eu já esperava esta marca. Estava muito bem preparada. Foi um salto que me escapou no Mundial de Daegu (Coreia do Sul) - disse a tricampeã Maurren. - Trouxe as medalhas de ouro dos Pans de 99 (Winnipeg) e de 2007 para dar sorte. Ficaram na bolsa da minha técnica (Tânia Moura).
Para Maurren, seu segundo salto, de 6,80m, já teria sido muito bom:
- O de 6,94m, então... Eu queria muito ser tri. Isso mostra que estou bem para 2012. Estou inteiraça! Foi importante atingir 6,94m, para buscar o bi olímpico em Londres.

No heptatlo, depois de cumprir dois anos de suspensão por envolvimento no escândalo de doping com a equipe da Rede Atletismo, em 2009, Lucimara retornou às pistas este ano com excelentes resultados. Foi campeã do Troféu Brasil e nesta quarta conquistou o ouro pan-americano, com 6.133 pontos. A vitória teve sabor de superação não apenas por representar o retorno feliz aos eventos internacionais.

- Tive de superar uma lesão no músculo posterior da coxa direita. Meu objetivo é conseguir o índice para Londres-2012 - afirmou ela, que fez sua melhor marca ontem.
Nesta quinta, ela ficará na torcida do campeão olímpico dominicano Felix Sánchez, a quem chama de "namoradinho".
- Prometemos que íamos ganhar o ouro. Tomara que tenhamos uma comemoração a dois - disse ela.

Geisa leva o bronze

Já nos 1.500m, o baiano Leandro Prates, que é soldado da PM paulista, tinha tudo para alcançar uma vitória tranquila. Mas a medalha de ouro quase lhe escapou na linha de chegada, com a arrancada de Byron Piedra, que ele não percebeu. O rival chegou a festejar ao cruzar a linha.
- Achei que tinha perdido. Vi que se aproximavam, mas, em provas anteriores, me distraí e perdi - disse Prates.

Além dos três ouros, o Brasil ganhou um bronze com Geisa Coutinho nos 400m rasos. O ouro ficou com a colombiana Yenifer Padilla, e a prata, com a cubana Daysiurami Bonne.
Bicampeão da Maratona de Nova York e três vezes vencedor da São Silvestre, Marilson dos Santos corre os 10.000m hoje quinta, às 19h de Brasília.

Publicada em 27/10/2011 às 00h05m
Claudio Nogueira (csn@oglobo.com.br) - Enviado especial

© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. 


André Macedo - Sou Desenhista Industrial (Especialista em Design Estratégico) - Apaixonado por esportes, corridas de rua, assuntos relacionados à alimentação, saúde, bem estar e corredor amador desde a adolescência. - (98) 8192.2732 / 8197

Nenhum comentário:

Postar um comentário